Acadêmicos de Psicologia da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte assistem palestra “Dia de Luta Antimanicomial: O papel do CAPS e sua equipe na saúde mental”

 

Os acadêmicos do curso de Psicologia da Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte, assistiram à palestra “Dia de Luta Antimanicomial”, promovida pela equipe do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) Arte de Viver, no dia 19 de maio, na Câmara Municipal de Guarantã do Norte.
 
Durante o evento, foi passado um vídeo institucional sobre o CAPS; Além de ser abordado durante a palestra a exposição da atividade e importância de cada membro da equipe do CAPS; A saúde mental sob a perspectiva do Centro de Atenção Psicossocial e a importância da permanente luta antimanicomial por meio de esclarecimento junto à população.
 
Ministraram a palestra: Cesar de Lima Laydner (médico); Ednéia Meurer Prado (agente administrativo); Erenilda de Oliveira Rodrigues da Fonseca (técnica de enfermagem); Justina Inês Kuhn (agente de serviços gerais); Katia de Paula Avelino Serafini (psicóloga); Maria do Socorro Leite Dantas (técnica de enfermagem); Maria do Carmo Fernandes (assistente social) e Silvana Macedo dos Santos (enfermeira).
 
Segundo a coordenadora do curso de Psicologia, prof. Gilmara Siqueira, o evento teve por objetivo promover o encontro da Equipe do CAPS Arte de Viver, de Guarantã do Norte, com os acadêmicos do curso de Psicologia: “O intuito é esclarecer sobre a origem do CAPS, o papel de cada um de seus profissionais e a relação da Psicologia com a importante tarefa de manter e preservar a saúde mental. Para os acadêmicos é mais uma oportunidade de reconhecer seu papel social e profissional, além de se aproximar um pouco mais da prática da Psicologia e de áreas interdisciplinares”.
 
O Dia Nacional da Luta Antimanicomial foi instituído após profissionais da saúde mental, cansados do tratamento desumano e cruel dado a usuários do sistema de saúde mental, organizarem o primeiro manifesto público a favor da extinção dos manicômios durante o II Congresso Nacional de Trabalhadores da Saúde Mental realizado em 1987, na cidade de Bauru/SP. Naquela manifestação, nasceu o Movimento Antimanicomial, tendo como data 18 de maio.
 
Outra conquista importante foi a aprovação, em 2001, da Lei 10.216, que preconiza a reestruturação da atenção em saúde mental, defende os direitos das pessoas que necessitam de tratamento e propõe a criação de serviços que ofereçam este tratamento sem que isto signifique exclusão da vida social ou perda dos direitos e do lugar de cidadão.
 
Os CAPS possuem caráter aberto e comunitário, dotados de equipes multiprofissionais e transdisciplinares, realizando atendimento a usuários com transtornos mentais graves e persistentes, a pessoas com sofrimento e/ou transtornos mentais em geral sem excluir aqueles decorrentes do uso de crack álcool ou outras drogas.

Confira as fotos em nossa galeria.

Confira vídeo feito pela acadêmica do curso de Psicologia, Ana Carla Moreira.

Ascom/FCSGN

Fotos cedidas pelos acadêmicos